sexta-feira, 23 de junho de 2017

Com quem os Servidores Municipais dialogam?

POR ENQUANTO, o bispo Marcelo Crivella* vai dando uma péssima sinalização de suas intenções para os Servidores Municipais.

Como se não bastasse a ausência de notícias sobre o Auxílio Educação, o Auxílio Creche, o 14º salário, a data de pagamento do 13º salário e do reajuste salarial (porque aumento... Só de aborrecimento e preocupação), os Servidores NÃO TEM NENHUM SECRETÁRIO para direcionarem suas demandas. Ao que parece, o que mais tenta fazer isso é o de Educação, o Cesar Benjamin, mas restrito à sua pasta.

Durante a última administração do Cesar Maia*, os Servidores tinham, no Secretário de Administração Índio da Costa*, alguém que apresentava os assuntos que diziam respeito aos seus interesses. Se não me falhe a memória, na primeira administração de Eduardo Paes, a referência deixou de ser a Secretaria de Administração, ocupada pelo Paulo Jobim Filho* que só ofereceu cafés da manhã para alguns servidores, e passou para a Casa Civil, ocupada pelo "simpaticíssimo" Pedro Paulo de Carvalho* (o que espancou a esposa). As notícias sobre reajustes salariais, benefícios e eventuais negociações (como sobre os Planos de Carreira da Educação e o dos Administrativos) se davam através deles.

COM O ATUAL PREFEITO, NÃO TEMOS ESSA REFERÊNCIA, o que pode indicar-nos que o Servidor Público NÃO É UM TEMA DE IMPORTÂNCIA para ele, talvez até menos do que o era para Eduardo Paes que, ao menos, colocou um interlocutor para "dialogar" conosco.

Os ventos vão mudar?

O que faremos? Algum tipo de pressão ou, simplesmente, esperar?

(*) Por quem não tenho a menor simpatia.

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Os Servidores da Prefeitura do Rio esperam um Salvador

Às vezes, eu tenho a impressão que a esmagadora maioria dos servidores espera que alguém, uma espécie de "Messias" (que pode ser um servidor, um grupo de servidores, um jornalista ou um político) assuma sua causa e lute, com todo empenho, botando mesmo a cara a tapa por ela, enquanto essa mesma maioria continua levando suas vidas de boa, sem se indispor com ninguém, esperando que os benefícios eventualmente conquistados por esse "Messias" caiam em seu colo.

quarta-feira, 7 de junho de 2017

Marcelo Crivella e os Servidores Municipais

1 - ATÉ AGORA, em seis meses de gestão, o prefeito Marcelo Crivella tem tratado os Servidores da Prefeitura do Rio de Janeiro com bastante indiferença. Acho que esse tempo transcorrido desde que ele assumiu, bem como seu pouco caso com os assuntos relacionados aos Servidores, sinalizam a tônica que pretende adotar frente ao funcionalismo, caso este não se organize e cobre seus direitos. 

2 - O não-pagamento dos Auxílios Educação e Creche, no início do ano, penalizam, de maneira mais dura, os Servidores com salários mais baixos que, até ano passado, contavam com essa receita para as despesas com seus filhos. Some-se à isso o quadro de grave crise de recessão econômica enfrentado pelo país que asfixia, ainda mais, os que ganham menos. 

3 - Acho no mínimo problemático aceitar, passivamente, as informações oficiais da Prefeitura dando conta da falta de recursos. Quem saiu (Eduardo Paes) e quem entrou (Marcelo Crivella) disputam as versões sobre a saúde financeira da cidade (Ficou dinheiro ou não? A Previdência está quebrada ou não?). Crivella, desde a campanha, sinalizou que este seria um ano de "austeridade". Sempre que leio essa palavra, vinda de políticos, eu penso: "Austeridade PARA QUEM?". Muitas vezes, ela recai sobre os Servidores, aqueles que fazem a máquina pública funcionar.

4 - Essa "austeridade" (baseada, também, no sacrifício dos Servidores) pode, muito bem, ser uma estratégia para levantar fundos para, na metade final de sua administração, o prefeito - que tem pretensões políticas - possa abrir sua "torneirinha de bondades" e, ainda, figurar como "bom gestor", que saneou as finanças municipais. 

5 - Se por um lado a divulgação das datas de pagamento sinaliza que receberemos nossos salários, o silêncio em torno do pagamento ou não da primeira parcela do 13º salário e do reajuste salarial (porque aumento já não tem faz tempo, né?) joga a esmagadora maioria dos Servidores num mar de incertezas, uma vez que tem suas margens reduzidas para planejar seus gastos extras (como são muitos e doloridos em tempos de crise, não?). 

6 - Não dá para esperarmos sentados na frente do computador ou com o celular na mão. Quais são as estratégias para enfrentarmos a indiferença daquele que disse que iria "cuidar das pessoas" sem falar de quais? 

segunda-feira, 29 de maio de 2017

Greve Geral por Eleições Diretas


Por que não rola Greve Geral por Eleições Diretas, já que os atores sociais que pedem Eleições Indiretas são comprometidos com as Reformas trabalhista e previdenciária?



Ou tem Centrais Sindicais e partidos supostamente de esquerda que clamam por Eleições Diretas, mas estão costurando, debaixo da mesa, eventuais nome de consenso para Eleição Indireta?


Fica cada vez mais forte a impressão que tem Partidos e movimentos sociais supostamente de esquerda que, no fundo, no fundo, ficariam muito felizes se outros fizessem essas Reformas odiosas. Assim, eles não viriam manchar sua "aura" de esquerda com essas Reformas e, de quebra, não se indisporiam com os donos do dinheiro.

quinta-feira, 25 de maio de 2017

Vamos fazer uma chamada do interesse dos Servidores Municipais?

Vamos fazer uma chamada do interesse dos Servidores Municipais da Prefeitura do Rio de Janeiro?

1 - Auxílio Educação!

FALTOU!

2 - Auxílio Creche!
FALTOU!

3 - 14º Salário!
FALTOU!

4 - Plano de Cargos e Salários!
FALTOU!

5 - CABERJ!
FALTOU!

6 - Primeira parcela do 13º salário!
Até agora, NENHUMA NOTÍCIA! Será que vai faltar?

7 - Reajuste salarial!
Até agora, NENHUMA NOTÍCIA! Será que vai faltar?

8 - AUMENTO SALARIAL!
NUNCA VEIO!

9 - Mobilização para que eles apareçam!
Até agora, NADA!

Há quem diga que, até agora, nem o Prefeito Crivella chegou na Prefeitura... 

AUDITORIA EXTERNA para avaliar a situação do Previ-Rio

Sobre a situação do Previ-Rio, não seria melhor a contratação de uma AUDITORIA EXTERNA? 

O Prefeito Crivella sinalizou que a situação do instituto de Previdência não seria boa (Veja: goo.gl/bepHEV). O ex-presidente do instituto, Luiz Alfredo Salomão, falou em rombo de R$:2,6 bilhões (Veja: goo.gl/TRVKfS). 

Por outro lado, Pedro Paulo, candidato do PMDB à Prefeitura do Rio derrotado ano passado e intimamente ligado ao ex-prefeito Eduardo Paes, diz que a situação seria contornável com outras medidas. Ulysses Silva, representante dos servidores no Conselho, diz que o problema começou com o ex-prefeito Cesar Maia (Veja: goo.gl/RbXvI2). 

Antonio Carlos Flores de Moraes, conselheiro do Tribunal de Contas do Município (TCM), diz que o Funprevi deve reavaliar suas formas de capitalização. O relatório deste órgão fiscalizador sinaliza que foram descumpridos diversos artigos de leis que regulamentam o fundo. A situação estaria insustentável (Veja: goo.gl/IIeQVp). PORÉM, o mesmo TCM APROVA as contas do antigo prefeito (Eduardo Paes), ainda que aponte o desequilíbrio na previdência (Veja: goo.gl/ZdXXMP). 

O ex-prefeito e atual vereador pelo DEM, Cesar Maia contesta a informação de déficit no Funprevi usando dados da atual administração, afirmando ainda, que houve "superávit previdenciário de R$ 65,2 milhões" (Veja: goo.gl/5jeOah). 

O que há em comum entre o que aponta a administração de Marcelo Crivella e o TCM? A solução de taxar os inativos. 

Vamos pensar juntos: A presidência do Previ-Rio é um cargo de indicação política; O ocupantes do TCM também são indicações políticas (dois terços indicados pelo Legislativo [Vereadores] e um terço pelo Executivo). Eduardo Paes teria indicado dois conselheiros da composição atual (Veja: goo.gl/948iMW). Cesar Maia tem interesse em manter limpa sua imagem. Nenhum deles é isento (ninguém é, por mais que o diga que seja). Os Tribunais de Contas (tanto do Município como o do Estado) passaram recibo para a gastança de dinheiro público feitas por Eduardo Paes (na cidade) e Sérgio Cabral/Pezão (no Estado). Não tenho confiança nesses "órgãos fiscalizadores". ASSIM, me parece bem razoável que uma AUDITORIA EXTERNA faça a avaliação da verdadeira situação do instituto de previdência dos servidores e seu fundo para o pagamento de aposentadorias. A CPI do Previ-Rio (Veja: goo.gl/Rksj5t) poderia solicitar isso? 

Para que possamos reunir maiores elementos para análise da situação do instituto, é muito importante acompanhar o trabalho desta CPI. 

domingo, 30 de abril de 2017

Greve Geral em 28 de Abril de 2017

Alguns momentos da manifestação no Centro da cidade do Rio de Janeiro no dia da Greve Geral contra as Reformas Trabalhista e Previdenciária de Michel Temer, que precarizarão ainda mais a vida dos trabalhadores.





































































video

video